Sexo. Ponto G: Como ativá-lo

Onde fica e como reativá-lo




Injeções para "Reativar o Ponto G":



Em 1950, o médico alemão Dr. Ernest Gräfenberg descobriu existir uma zona erógena super-sensível, a cerca de 4 centímetros do intróito vaginal, cuja estimulação nas preliminares


e penetração sexual desencadeariam sensações muito agradáveis e intensas, que levariam a orgasmos magníficos, a qual batizou de "Ponto G".

Ao que parece, essa super-sensibilidade do Ponto G costuma diminuir após alguns anos de vida sexual ativa, e muitas mulheres se queixam de não se sentirem mais tão responsivas às carícias e arroubos de um intercurso sexual “mais caliente”, após passados alguns anos.

Agora uma técnica médica permite ”restaurar a sensibilidade do Ponto G”, em muitas mulheres que se queixam dessa diminuição após os primeirosfogosos e dourados anos de vida adulta. Essa técnica está ganhando a simpatia de médicos e pacientes, pelos benefícios na recuperação dessa “antiga sensibilidade”.

Consiste em injetar colágeno para “intumescer a região do Ponto G”, que se torna mais sensível e responsivo, reacendendo a sensibilidadevivenciada naqueles anos, muitas vezes ainda recentes.

Onde fica o Ponto G:



Obtemos melhores resultados quando a menor sensibilidade e dificuldade em atingir o orgasmo se devem a um baixo teor de colágeno e elastina nos tecidos da região, que “murcharam”. A INJEÇÃO DE COLÁGENO faz intumescer esses tecidos, que se tornam mais volumosos e sensíveis ao toque e ao atrito, com incremento da estimulação de terminações nervosas que desencadeiam o orgasmo.

Quando a sensibilidade e responsividade menores decorrem de fatores psicológicos, e não à deficiência de colágeno e elastina nos tecidos,essa técnica não está indicada, por não trazer reais benefícios.

Com indicação correta, são previstos resultados imediatos, com a paciente relatando grande melhora na performance sexual, facilidade em atingir o orgasmo, e um intercurso de melhor qualidade.

Assim como no tratamento de rugas faciais, a Injeção de colágeno no ponto G perde o efeito após algum tempo, pois o colágeno aplicado vai sendo metabolizado, e precisa ser reaplicado a intervalos variáveis de caso para caso, em média entre oito em dezoito meses.

O médico norte-americano Dr. David Matlock patenteou a Injeção no Ponto G como "G-Shot", sendo pois o único que pode usar essa denominação nesse tratamento. Ele afirma que 87% das suas pacientes relataram melhora na capacidade de se excitar e de chegar ao orgasmo após a aplicação, o que careceria confirmação.




O Dr. Matlock cobra US$ 1.850,00 dólares por aplicação de G-Shot, que sugere repetir a cada seis meses, e cobra US$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos dólares) para a “dose-dupla”, prevendo o dobro dessa duração. No Brasil não podemos usar a marca G-Shot, e os valores do tratamento sem “griffe” são bem mais acessíveis.

O crescente número de médicos propondo Aumento do Ponto G, cirurgias de "rejuvenescimento vaginal" e "virgenização", nos USA, levou o Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras (Acog) a alertar ao público sobre esses procedimentos, oferecidos como rotina na prática médica, sendo na verdade indicados apenas para tratar disfunções específicas (problemas de ordem psicológica, por exemplo, não serão beneficiados).


1 Clitóris
2 Meato Uretral
3 Vagina
4 Abertura Vaginal
5 Ânus



Em artigo da revista "New Scientist", o médico italiano Dr. Emanuelle Janini afirma ter comprovado existir o ponto G através de exames de ultra-som. Nove mulheres que relatavam orgasmos vaginais exclusivos (sem a estimulação do clitóris) apresentaram um espessamento entre a vagina e a uretra, e essa protuberância não foi identificada em outras onze mulheres que não sentiam prazer com o estímulo mecânico dessa área.